sábado, 29 de outubro de 2016

ELEIÇÕES – No derradeiro debate, Zenaldo tangencia, foge de críticas irrespondíveis e acena com promessas

Edmilson Rodrigues, do PSOL: serenidade que faltou a Zenaldo Coutinho.

No derradeiro debate entre os candidatos à Prefeitura de Belém, promovido pela TV Liberal, afiliada da TV Globo, o ex-prefeito Edmilson Rodrigues, do PSOL, que é deputado federal, teve o melhor desempenho de todos os embates diretos com seu adversário. Bastou, para tanto, concentrar-se nas realizações em seus dois mandatos como prefeito, em contrapondo à pasmaceira da administração do prefeito Zenaldo Coutinho, do PSDB, que postula a reeleição, a despeito de protagonizar uma administração calamitosa. Edmilson recordou, por exemplo, ter construído 18 novas escolas, enquanto seu adversário deixou 12.500 crianças sem creches. Na falta de realizações a exibir, Zenaldo optou por tangenciar, fugindo de críticas irrespondíveis, e optou por acenar com novas promessas, a despeito de não ter honrado os compromissos de gestão com os quais foi eleito em 2012, quando também defrontou-se, no segundo turno, com Edmilson. Zenaldo não explicou, por exemplo, a demissão sumária de 308 servidores da Secretaria Municipal de Saúde, para a nomeação de cabos eleitorais travestidos de servidores, às vésperas do período eleitoral. Como a agressividade abastece a veemência, mas conspira contra aquele mínimo de civilidade que se exige em um cotejo de propostas, a imagem de um gestor celerado, que o marketing eleitoral tucano tentou impingir a Edmilson Rodrigues, acabou por aderir a Zenaldo Coutinho. Não por acaso, o oportuno desabafo do candidato do PSOL ao prefeito em busca da reeleição. "Por favor, candidato, o senhor não pode transformar em realidade a cidade da fantasia!", disparou Edmilson, aludindo à propaganda enganosa de Zenaldo Coutinho, ao qual ainda acuou, com a admoestação devastadora: "Um prefeito de verdade não cruza os braços, não fica culpando a crise (econômica)!"

No aparente empenho em mostrar-se seguro, Zenaldo acabou por exibir aquela autossuficiência própria de quem acredita que se basta a si mesmo, o que ajuda a alimentar a animosidade natural que cerca os poderosos em geral e os arrogantes em particular. No empenho em desqualificar o adversário, abusou das adjetivações, às vezes em tom resvalando para o deboche, em uma postura incompatível com aquela que se espera de um prefeito em busca da reeleição. Depois de ser acuado com sucessivos questionamentos sobre as promessas de campanha que não foram cumpridas, Zenaldo teve um deslize particularmente patético, ao pretender ignorar o Mapa da Violência segundo o qual Belém é a 26ª cidade mais violenta do mundo, a 9ª do Brasil e a 3ª da Amazônia, de acordo com levantamento divulgado pelo Conselho Cidadão para a Segurança Pública e a Justiça Penal, uma ONG mexicana. Pior, só mesmo quando tratou com menosprezo, pretendendo apresentar como factóide de militantes do PSOL, o protesto de professores concursados da Escola Bosque, cujas aulas foram suspensas, para a realização de filmagens de depoimentos de servidores comissionados e temporários em favor do atual prefeito. Aí, aderiu definitivamente a Zenaldo Coutinho a pecha de cínico a ele associada, por conta de suas recorrentes balelas, na esteira da campanha pela reeleição. Cinismo que permitiu ao prefeito tucano ignorar, olimpicamente, a indagação sobre o porquê de só ter construído, em quatro anos, uma única UPA, Unidade de Pronto Atendimento. Ou sobre o porquê da dívida do município saltar de R$ 300 milhões para R$ 100 milhões.
Grave, muito mais grave, e revelador de uma administração caótica, foi Zenaldo Coutinho não retorquir a denúncia de Edmilson Rodrigues, segundo o qual a situação financeira da Prefeitura de Belém é tão grave, que há o risco de não ser pago o 13º salário dos servidores públicos municipais, além de implicar em reajustes expressivos das tarifas de ônibus e do IPTU, o Imposto Predial e Territorial Urbano. Resvalando para o patético, ao fustigar Edmilson Rodrigues sobre déficit habitacional na gestão do ex-prefeito, Zenaldo Coutinho foi obrigado a ouvir calado a desmoralizante observação do adversário: "Não construiu uma única casa! Mostra projetos do governador, (realizados) com recursos federais!"
Não surpreende que, diante da sucessão de desmentidos a suas recorrentes balelas, Zenaldo Coutinho se revelasse atordoado, a ponto de confundir-se e imaginar que seria o último a ter a palavra, no encerramento do debate promovido pela TV Liberal. Algo previamente definido em sorteio, diga-se.

9 comentários :

Anônimo disse...

Vi ele desejando no dia de ontem um feliz dia do funcionário público.Achei no mínimo cara de pau pois para quem achava que ele iria reajustar o salário mínimo constitucional antes da eleição caiu do cavalo.Este um dos motivos que ganhou dos servidores concursados o "elegante" apelido de Zenada.

Anônimo disse...

O eleitor mediano reagiu muito mal nos últimos debates ao tom cínico e arrogante do prefeitode Belém, se as pesquisas qualitativas de grupos, realizadas para acompanhar estiverem certas, a maior parte dos indecisos deverão optar pelo deputado Edmilson Rodrigues, mas veremos isso no domingo à noite.

Anônimo disse...

Infelizmente acho que a força da maquina vai prevalecer.A farra do cheque moradia vai reeleger o incompetente.

Anônimo disse...

Não dependo do que acontecer na eleição de domingo para tomar a decisão que já tomei: haja o que houver, custe o que custar, faça sol, ou chova canivetes, vou me mudar de Belém. E o farei no dia 1º de novembro, terça-feira.

Vou morar na Zenaldolândia.

Chega de ver gente morrendo na fila dos postos de saúde, ou dentro do PSM da 14 e do Guamá em busca de atendimento.

Chega de sofrer com as enchentes da minha rua, abandonada pela prefeitura.

Chega de andar em ônibus superlotados e parados em engarrafamentos.

Chega de ser assaltado, de viver em casa cercada de grades, com medo dos bandidos.

Chega de ver gente de carro cinza ou preto matando pessoas.

Chega de não ter água na torneira pra beber ou tomar banho.

Chega de ver montanhas de lixo pelas ruas.

Chega de tantos carros buzinando e avançando o sinal no trânsito caótico.

Chega de ver idosos vagando por avenidas ou dormindo em calçadas.

Chega de presenciar brigas de gangues dentro e fora de escolas públicas.

Chega de cruzar na cidade com doentes mentais nus ou armados, esquecidos pelo Poder Público.

Chega de viver numa cidade mal iluminada.

Chega de contemplar canais entupidos, sujos e poluídos.

Chega de ver autoridades mentindo no rádio e na televisão

Chega de ouvir promessas vazias e cínicas de autoridades

Chega de viver em Belém.

Chega ! Chega ! Chega !


Vou morar na Zenaldolândia. Isto, sim, é que é lugar bom de se viver. Não tem cidade melhor no mundo


Na Zenaldolândia, os postos de saúde funcionam em tempo real, durante as 24 horas do dia.

Na Zenaldolândia, não existe incêndio em hospitais da cidade ou gente morrendo sem atendimento. Há médicos e remédios para todos.

Na Zenaldolândia, o saneamento é de primeira qualidade, não existe enchentes ou ruas alagadas.

Na Zenaldolândia, as ruas e avenidas são asfaltadas, sinalizadas e bem iluminadas.

Na Zenaldolândia, o BRT funciona e as linhas de ônibus servem a população com rapidez. Ninguém demora na parada à espera de transporte.

Na Zenaldolândia, ninguém assalta ninguém. A polícia está nas ruas a hora e a tempo e a prevencão à criminalidade é feita pela Guarda Municipal.

Na Zenaldolândia, a água nas torneiras é limpa e nunca falta. Toda a população é muito bem servida.

Na Zenaldolândia, lixo pelas ruas só em filme de ficção. A coleta é diária e eficiente. Os bairros são limpos e bem tratados.

Na Zenaldolândia, o trânsito é perfeito, todos respeitam a sinalização, os pedestres, não há buzinaços ou colisões.

Na Zenaldolândia, os raros mendigos e os idosos, assim como os doentes mentais, têm atendimento padrão Fifa. Todos vivem bem vestidos, assistidos e alimentados.

Na Zenaldolândia, os estudantes não têm tempo para arrumar brigas ou formar gangues. Eles estudam em escolas de tempo integral. Recebem noções de moral e civismo e no recreio praticam esportes.

Na Zenaldolândia, os canais da cidade são de primeiro mundo. As águas são tão limpas que as crianças tomam banho e o adultos reúnem as famílias para ruas de lazer nos finais de semana.

Na Zenaldolândia, todos falam a verdade e ninguém mente.
Aliás, o último que foi pego dizendo mentiras foi deportado da cidade e virou candidato a prefeito de Belém.

É por isto que vou morar na Zenaldolândia. O avião que veio me buscar já está pousando em Belém.

Vem comigo, vem.

Rey Vortian disse...

Parece que não temos esperança de um dia ver os tucanoscanalha irem embora de vez.

Anônimo disse...

Os servidores concursados da SESMA estão preocupados com o pagamento do 13 salário, principalmente após a contratação de mais de 600 pessoas e agora essa dívida junto ao IPAMB. O que será da ZENALDOLÂNDIA?

Anônimo disse...

Não quero.
Não posso me mudar para zenaldolândia.
Não sou Alice.
Sou Minie!
Kkkkkkkk rindo para não chorar.

Anônimo disse...

Os dois mentem descaradamente. Parece que gostamos de ser ludibriados.

Anônimo disse...

Como ainda temos tanta ingenuidade em acreditarmos nesses políticos depois de tanta roubalheira no Brasil.