domingo, 18 de setembro de 2016

SINTEPP – Diretoria leva intolerância ao paroxismo e quer suprimir liberdade de expressão dos associados

Professor Manoel Ovídio Franco Carvalho, vítima da intolerância
que nem  mesmo o general Ernesto Geisel, na ditadura, admitiu.

Durante os anos de chumbo, o deputado Ulysses Guimarães, na época presidente nacional do PMDB e que comandou a resistência democrática contra a ditadura militar, foi anticandidato ao Palácio do Planalto contra o general Ernesto Geisel. Os dois se odiavam. Já presidente, Geisel foi comparado pelo doutor Ulysses ao sanguinário ditador de Uganda, Idi Amin Dada. A despeito do ódio mútuo e do seu perfil autocrático, Geisel conteve os rasgos de intolerância da caserna e limitou-se a processar o doutor Ulysses, que foi absolvido pelo Supremo Tribunal Federal. Ao assim fazer, o general-presidente represou a marcha da insensatez dos porões do regime dos generais, alimentada pelo ignominioso desprezo às liberdades democráticas, cujo pressuposto basilar é a liberdade de manifestação.

A lembrança vem a propósito da nota de repúdio do Conselho de Representantes do Sintepp, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará, exigindo a retratação de um associado, por ter feito uma crítica supostamente “leviana” contra a diretoria da entidade, em uma assembleia geral da categoria. Na nota, que de forma sub-reptícia pavimenta o álibi para a expulsão, é exigida uma retratação pública do professor Manoel Ovídio Franco Carvalho, diretor geral da sub-sede de Ananindeua do sindicato, eleito com 40% dos votos, que teria acusado os dirigentes do Sintepp de privilegiariam a campanha eleitoral, em detrimento da mobilização dos professores, negligenciando a luta pelas reivindicações salariais da categoria. Ou seja, os dirigentes do sindicato reagem com uma intolerância, com uma truculência, que nem mesmo o general Geisel permitiu-se, por estar comprometido com a "distensão lenta, gradual e segura". Deles não se pode dizer, sequer, que se igualam, na prática, aos que supostamente combatem no discurso. Em verdade, revelam-se muitos piores. Constituem a vanguarda do atraso e se servem da democracia como álibi para contra ela conspirar. São, na realidade, cúmplices retroativos da ditadura militar, reeditando o que de pior ela produziu, com o agravante de fazê-lo em pleno estado democrático de direito.

11 comentários :

Anônimo disse...

Esses diretores do Sintepp gostam é de dinheiro fácil (mamatas) e boas festas no sindicato, de resto é perseguição aos lutadores sociais.

Luciana Merolyn disse...

Quanto ódio! Gostaria que toda esta raiva, fosse transferida para o governo jatene, o nosso verdadeiro inimigo.

Anônimo disse...

Que vergonha esse de PSOLISTAS e PSUTISTAS, que falta de princípios. Esses partidos que comandam esses sindicatos são absolutamente corruptos de fato e de direito. Não temos dúvidas da corrupção moral que os atinge. Ratos nojentos, abomináveis voltem para os porões de onde jamais deveriam ter saído por conta do fedor que exalam.

Anônimo disse...

Só queria entender se isso tbm não seria uma disputa interna entre eles. Não tenho dúvida que estão privilégiando as campanhas eleitorais. Mas quem acusa tem que provar. Gostaria que postasse aqui a carta do Sintepp pedindo a retratacao do professor. Assim cessaria minha dúvidas senão seria uma briga de correlações de forças...

Anônimo disse...

Desde muito jovem meu irmão luta pelas causas pró aos trabalhadores da educação, por isso acredito que tudo que estão fazendo contra ele é simplesmente um jogo sujo como em qualquer lugar aonde existe a politicagem.

Anônimo disse...

Anônimo de 19 de setembro das 16:02 deixa de ser leso ou pelegos. Está publicado aqui mesmo no blog a nota de repúdio na íntegra. Vai lá e lê. Não te faz de coitado defendendo uma direção corrupta do sindicato que agora persegue trabalhador nos fóruns da entidade. Acorda Mafalda!!!

Anônimo disse...

Infelizmente esse suposto sindicato que diz representar os professores é formado de um bando vadios que nunca deu, não dá e jamais dará aula. Esse bando é formado com base nos princípios da anarquia, da preguiça e do saque as nossas contribuições, que existem obrigadas por uma lei que jamais foi colocada em assembleia para votação. Fora suas ratazanas nojentas, hienas da nosso suor, do nosso trabalho. Larguem desse negócio de eleição e vão trabalhar seus vadios.

Anônimo disse...

Sindicalistas,não, oportunistas! Bando de aproveitadores dos associados. Querem mais poder para mamar muito mais nas tetas.

Anônimo disse...

Usam o sindicado para defender seus próprios interesses. Querem mordomia e privilégios. Professores que vivem de sinecuras e trambiques.

Anônimo disse...

Ao anônimo de 20 de setembro de 2016 08:27. A sua ignorância é de causar susto!
A propósito, você é filiado?



Marquinho

Teresinha disse...

Eu, como sindicalizada, espero que a pessoa que fez este texto, bem como os que estão fazendo comentários(levianos), ao menos estivessem na assembleia citada. O professor Ovídio, fez uma acusação leviana, dizendo que os dirigentes do sindicatos estavam usando o dinheiro e a estrutura do sindicato para suas campanhas. Eu concordo que ele tenha que se retratar, isso é o mínimo que ele deve fazer depois da acusação.