quarta-feira, 24 de agosto de 2016

PROFESSORES – Por unanimidade, pleno do TJ do Pará determina, enfim, que Simão Jatene pague o piso salarial

Simão Jatene: recalcitrância em pagar o piso salarial sepultada pelo TJ.

Por unanimidade, o pleno do Tribunal de Justiça do Pará determinou, enfim, que o governo Simão Jatene proceda o imediato pagamento do piso salarial nacional aos profissionais do magistério público da educação básica. A decisão ocorreu em sessão realizada nesta quarta-feira, 24, contemplando mandado de segurança impetrado pelo Sintepp, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará, que teve como relatora a desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães.

A notícia está no portal do TJ Pará e acrescenta que, de acordo com a decisão, o piso salarial a ser pago corresponde ao valor atualizado pelo Ministério da Educação para 2016, de R$ 2.135,64. O pagamento deverá ser calculado, proporcionalmente, com a jornada de trabalho exercida e os efeitos patrimoniais incidirem a partir da data em que foi impetrado o mandado de segurança.

10 comentários :

Anônimo disse...

Procurei de todas as formas saber do resultado desse julgamento. Só agora consegui saber do resultado. Obrigado pela utilidade pública de nos manter informado sobre esse fato relevante para o ensino público no Estado do Pará, Blogueiro Barata.

Antonio Servulo Malcher Neto disse...

Tem que pagar! É lei e lei é feita pra ser cumprida!

Paulo César Gonçalves disse...

E se o governo não pagar, o que acontece? Nada?

Anônimo disse...

Os professores precisam se mobilizar para tratar dos seus interesses. Não para fazer baderna, não é para achincalhar ou insultar, não é para interromper trânsito nas ruas da nossa cidade, prejudicando e sacaneando a vida dos que nada têm a ver com nossa discussão com o governador do estado. Não é também para servir de palanque para esses políticos ordinários de PT, PC do B, PSDB, PMDB, PSOL, PSTU...e outros oportunistas patifes que aproveitam estes momentos para comer as carniças das nossas lutas. Vamos a luta de forma ordeira, mostrando porque somos a esperança do país para educar e preparar os nossos jovens para um futuro melhor. É esta luta que eu e por certo muitos outros colegas desejamos sem a presença de desordeiros e bagunceiros para destruir nosso protesto tampouco forjar uma imagem de categoria de foras da lei. À luta professores, xô partidos políticos que tanto nos atrapalham e nos prejudicam quando estão fora do poder e também quando são o poder. Xô cinderelas da desgraça.

Anônimo disse...

O anônimo de 25 de agosto de 2016 14:29 certamente vive no pais das maravilhas!

João Paulo

Anônimo disse...

Eu luto pelos meus direitos. Não luto para ser DAS, nem moleque de recados de políticos fedorentos à rato d'água, categoria que infesta nosso Estado. Se você se presta a ser bucha de canhão desses políticos canalhas, pode ir em frente, acompanhe-os e sirva-os sugando o suor do povo. Caso contrário amigo, pode sem problemas integrar a facção dos que lutam pelos seus direitos sem avançar sobre os direitos alheios, porque a luta pelos meus direitos impõe que eu respeite os demais. Além disso, vive em país das maravilhas aqueles que se servem do povo para patrocinar molecagens e tomar de conta o dinheiro das contribuições sindicais, e assim poder organizar convescotes e rega-bofes para achincalhar o professorado do Pará.

Anônimo disse...

Ao anônimo de 26 de agosto de 2016 14:28: Parece que não sabes bem o que são direitos e o que é luta. Explique melhor a forma de como lutar contra Jatene pelos seus direitos!


João Paulo

Anônimo disse...

Concordo com vc.

Anônimo disse...

Já era para terem aprovado greve geral, esse "governador" não cumpre leis, não negocia e sempre enrolou vocês professores.

Anônimo disse...

Se entendi, o João Paulo tem razão. O país das maravilhas que ele se refere é o Sintepp que se tornou especialista em financiamento de campanha eleitoral. Estive pensando e avalia do outros cenários de tempos atras e como sou da categoria dos professores, esse desvio de verbas da sindicato deve ter custeado várias candidaturas: Luiz Araújo, Paulo Rocha, Edmilson Rodrigues,Regina Barata, Marinor Brito, Fernando Carneiro e vários outros. É isso mesmo João Paulo.