quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

SINTEPP – Em nota oficial, diretoria do sindicato repele denúncias de malversação feitas ao Ministério Público

Beto Andrade, quer subscreve a nota oficial enviada pelo Sintepp.
Em nota oficial enviada ao Blog do Barata na tarde desta quarta-feira, às 15h24, assinada por seu coordenador-geral, Alberto Andrade, o Beto Andrade, a diretoria do Sintepp, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará, repele, com veemência, as denúncias anônimas de malversação dos recursos e do patrimônio da entidade, contidas em representação protocolada no MPE, o Ministério Público do Estado do Pará. “Repudiamos e contestamos com veemência as acusações levianas, caluniosas e injuriosas   feitas contra o sindicato, reafirmando que isto não intimidará nossa atuação em defesa da educação”, assinala a nota oficial. “E acreditamos na seriedade dos promotores de Justiça que conduzem o procedimento de tais denúncias anônimas. E que logo perceberão a fragilidade de tais denúncias. Além de desvendar a identidade do(s) denunciante(s) para que o Sintepp possa tomar as medidas legais e sindicais”, acrescenta o esclarecimento público.

A nota oficial sublinha que o silêncio do Sintepp em torno das denúncias anônimas feitas – quebrado pela divulgação pelo Blog do Barata da representação protocolada no MPE – resultou da ausência de legitimidade de seus autores. “Reiteramos aqui que a decisão dos coordenadores atacados em não responder nas redes sociais às calúnias e tentativas de desqualificação feitas por fakers ao sindicato se deu justamente por que estes não são portadores de legitimidade para fazê-las, muito menos para prová-las”, enfatiza a nota, reiterando que o Sintepp “é uma entidade democrática e sempre defenderá o livre debate de ideias e pensamentos, tendo como centro a defesa dos trabalhadores em educação, buscando garantir através de muita luta uma educação pública, gratuita e de qualidade social”.

8 comentários :

Anônimo disse...

Explique como pode um escritório de advocacia terceirizado a peso de ouro como é o do Walmir Brelaz que recebe mais de 450 mil reais por ano poder usar a estrutura do sintepp, a energia, os equipamentos, etc. Vocês tratam o sindicato como se fosse de vocês, sem o menor respeito pela categoria.

Alberto Andrade não é concursado por ananindeua e mesmo assim recebia jeton como coordenador do sintepp. Mensalinho!

Suas mentiras não nos engana mais!

Jair Pena de Souza Pena disse...

O Beto recebia uma parte de sua perda salarial pela subsede de Ananindeua pois era coordenador geral da entidade e ocupava metade de seu tempo pra se dedicar as tarefas da Subsede. Quando estava em sala de aula tinha 250h como professor de educação física e assim que ficou a disposição da entidade o seu salário na seduc foi reduzido para 150h na regência e esta diferença é que foi ressarcida, uma parte pelo Sintepp Estadual e outra pela Subsede Ananindeua.Foi feito um acordo entre Sintepp Ananindeua e Sintepp Estadual para dividir o ônus do ressarcimento.É o que há

Anônimo disse...

Ficar a disposição da entidade para quê mesmo? Este negócio de gente a disposição de entidade é farra certa. Trabalhador tem que estar trabalhando, fazendo jus ao seu salário. Não pode ficar dependendo de contribuição sindical dos que trabalham efetivamente para ter seu sustento. Como diria o Boris Casoy: ISSO é UMA VERGONHA!

Se amparam em uma lei do tempo que o fascismo imperava no BR. São todos filhotes, gatos gordos, do Getulinho...Acostumados a benesses e favores, sempre com muito pouco trabalho.

Anônimo disse...

Se. Jair Pena o Sintepp estadual não tem dinheiro para pagar sozinho a reposição? Essa desculpa nao convence. E outra Beto nunca foi professor do município de ananindeua mais um motivo para não receber e nem se candidatar a diretor de lá, pois não pertence aquela base. Ridículo as mentiras esfarrapadas de vocês da APS/PSol.

Anônimo disse...

Anônimo de 16 de janeiro de 2016 20:41, vá ler primeiro o estatuto do sindicato para depois fazer questionamentos, você não sabe nem quem pode ser diretor, imagine como funciona o sindicato.

Anônimo disse...

Anônimo de 12 de janeiro de 2016 12:25, que bela referência é Boris Casoy, não é? Você deve ser um daqueles que defende a volta dos milicos! Sem falar que não entende uma linha de sindicalismo. Vá aprender primeiro para depois entrar em discussão, seus comentários são vazios de conhecimento. Não fale só por falar.

Anônimo disse...

Interessante vocês atacam com adjetivacoes raivosas e vazias, mas de concreto e objetivo não mostram nada. Sabe por que? Porque estão num mar de corrupção. Mostrem no estatuto do XXI congresso que ocorreu em novembro de 2014 onde se encontra a norma que permite um diretor sindical receber de duas bases diferentes a reposição. Bando ignorantes, estúpidos, truculentos, corruptos e agora burros.

Anônimo disse...

Não adianta nem desenhar ao Anônimo das 09:15 que ele não sabe o que é dividir um ressarcimento entre duas esferas do sindicato. Vai ser burro assim na PQP!