quinta-feira, 28 de maio de 2015

SEGURANÇA – Esfarinhadas falácias de Jatene



“O problema é que o governo do Pará assumiu a política de tampar o sol com a peneira e não assumir, diante da população, que o Pará se converteu em um dos Estados mais violentos do Brasil. E o Mapa da Violência fala isso, que é um dos mais violentos e que tem de tomar medidas muito extremas que não são tomadas neste momento.” A declaração é do sociólogo Júlio Jacob Waiselfisz, em entrevista publicada na edição desta quinta-feira, 28, do Diário do Pará, na qual esfarinha as falácias do governador tucano Simão Jatene e seus áulicos, que tentam minimizar a gravidade da escalada da criminalidade no Pará.
A entrevista de Júlio Jacob Waiselfisz é leitura obrigatória, diante do morticínio levado ao paroxismo – no Pará e, particularmente, em Belém - e que causa indignação na opinião pública, agravada pelos recentes assassinatos, nos últimos dias, de dois jovens universitários, de 19 e 23 anos, respectivamente, e de uma criança de apenas oito anos. Waiselfisz trata da escalada da criminalidade no Pará com a autoridade de quem é o coordenador do Mapa da Violência, por ele elaborado desde 1998 e cuja última atualização pode ser acessada pela internet, através do link abaixo:


Um comentário :

Max Menezes disse...

Barata, comente a frase do Governador, dita há pouco: " É importante que a população também tenha uma mudança cultural, como evitar lugares com grandes aglomerações, festas até tarde da noite, enfim, tudo isso já ajuda a diminuir os casos de violência."