sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

MURAL – Queixas & Denúncias


13 comentários :

Anônimo disse...

E o supermercado lider, batista campos, movido pela ambição e o lucro, está vendendo peru velho do ano de 2013. Detalhe: muitas das aves congeladas estão estrasgadas. E a vigilância sanitaria? Por onde anda?

Anônimo disse...

Em 2010, a SESPA promoveu o Concurso Público C-153, aprovando para o cadastro de reserva, 4.800 profissionais, entre os quais médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, administradores, fisioterapeutas, assistentes administrativos e agentes de portaria.
Quatro anos depois, o governo deu por encerrada a validade do concurso, convocando apenas 800 aprovados, apesar de toda a luta travada pela Asconpa, a Associação dos Concursados do Pará.
Foram quatro anos de insistente batalha nas ruas e na Justiça, na tentativa de fazer o governo garantir ao maior número possível de aprovados o direito adquirido.
Ao fim e ao cabo ficou evidente que uma das razões para o governo não efetuar as chamadas de mais concursados foi porque Simão Jatene e Arnaldo Jordy (os responsáveis políticos pelos órgãos) faziam contratações, tanto de servidores temporários, quanto de empresas terceirizadas, para garantir votos nas eleições. E como resultado, ambos foram reeleitos aos cargos que disputaram.
Na última quarta-feira (17), o promotor de Justiça Domingos Sávio Campos, do MPE-PA, ajuizou, no TJE, uma Ação Civil Pública por improbidade administrativa contra o PROPAZ e a SESPA, por irregularidades em compras e contratações de serviços sem licitação, para o projeto Presença Viva.
O promotor pede que os bens dos titulares dos referidos órgãos públicos estaduais fiquem à disposição da Justiça, até que sejam feitos os ressarcimento ao erário de cerca de R$ 5 milhões de reais referentes às contratações diretas.
Estão arrolados no processo uma turma de DAS da SESPA e do PROPAZ. Estes DAS, como todos sabem, são pessoas que não fazem concurso público, ou foram reprovados nas provas, mas, graças às suas estritas relações políticas com o Jatene e Jordy, foram indicadas para dirigir os respectivos órgãos
Entre os denunciados, estão o gerente de Área do Pro-Paz, Jorge Antônio Bittencourt e o secretário de Saúde do Estado, Hélio Franco. Estranhamente, ficou fora da lista a filha do governador, Izabela Jatene, titular do PROPAZ.
Caso a Justiça cumpra com o seu dever natural de fazer Justiça, é possível que uma enxurrada de denúncias arquivadas nos órgãos de fiscalização do nosso estado (MPE, TCM, TCE, etc) também sejam julgadas e os culpados condenados.

Anônimo disse...

O município de Marituba criou uma guarda municipal, sem projeto de lei de regulamentação da mesma.

Sem os guardas passassem por curso de formação, sem a abertura de concurso público para a contratação dos mesmo para exerceram a atividade. Enfim foram juntando porteiros, vigias, peixes do prefeito e deram uma farda para eles combaterem a criminalidade que é muito grande e perigosa no município de Marituba.

Prefeito de Marituba no Pará, faça o correto abra concurso para os guardas municipais, faça o curso de formação de ni mínimo 05 meses, garanta porte de arma aos mesmo e regularize a atividade de guarda municipal no seu município. A final não custa nada garantir direitos aos servidores e profissionalisar a segurança pública municipal no seu município.

Regularize também a atividade de agente de trânsito, pois como um agente que não é concursado e não é preparado para a função vai fiscalizar alguém e conceder multa por infrações cometidas.

Se a maior infração é o prefeito que comete. Jogando um monte de contratado o em desvio de função ocupar funcões estratégicas no municípios.

Regularize essas atividades e realize concurso público para essas atividades prefeito de MARITUBA NO PARÁ.

Anônimo disse...

Prefeito Mario Filho, não gosta de concurso público. Ele tem que contratar seu curral eleitoral. Pra ter concurso em Marituba só se a justiça realmente der em cima. Mais de 70% do servidores do municipio de Marituba é apadrinhado político, contratado.

Quero ver até quando isso vai ficar assim.
Para os guardas utilizarem armamento os mesmos tem que ser concursados e para os agentes de fiscalização de trânsito aplicarem multas também t que serem concursados se não cai na ilegalidade.

Marituba ainda vive como ae estivesse na politica do pão e circo.

Uma vergonha para gestor deixar seu trabalho ser ilegal.

Anônimo disse...

Barata o poder o mpt precisa fiscalizar algumas estruturas sindicais.existem algumas por aí , que mais parecem a extensão particular da residência e família dos seus presidentes, tem de tudo, até amante pode um negócio desse ! E quem paga essa conta é o trabalhador e, isso tem que acabar. Chega do trabalhador pagar essas farras e campanhas políticas desses peleigos.

Anônimo disse...

Alô barata !!!! Canaã pede socorro !!!! Tem um fiscal aqui da SEFA chamado antonio (tom) que a cada dia que passa vem praticando extorsão em nós comerciantes. Pedimos sua ajuda e também o apoio do MP.

Anônimo disse...

Meus amigos mais de 95% do funcionalismo público é contratado no município de Marituba e o MP, justiça não faz nada.
Que vergonha isso que acontece no Pará e ninguém faz nada.

Anônimo disse...

Povo! esta na hora de nos unirmos e irmos para a frente do MP exigir que o PGJ respeite as Leis, para assim poder exigir que outros órgãos o faça. Na época da manifestacao contra a PEC 37 o MP foi para as ruas implorar apoio da população e foi graças a nós que aquela PEC foi rejeitada, portanto temos o direito de exigir que o MP desempenhe seu papel de forma proba, justa e etica ou teremos que fazer muito barulho para que o Brasil inteiro escute. CHEGA!:Vamos as ruas gritar por justiça!

Anônimo disse...

Acabaram as 'bondades eleitorais' concedidas pelo governo Jatene aos servidores públicos. O contracheque de Dezembro de 2014 já veio trazendo surpresas desagradáveis. A conferir!

Anônimo disse...

o governador JATENE é muito nojento, diz que atende decisão judicial na SUSIPE substituindo 500 agentes penitenciários temporários despreparados por mais 500 agentes penitenciários de novo temporários e despreparados. pois para se ter um profissional qualificado o mesmo deve no mínimo estudar 04 em um curso de formação em tempo integral IGUAL A UM CURSO DE POLICIA, CLARO QUE COM OUTRA VISÃO.

não essas palestras de enxugar gelo.
Jatene faça o certo abra concurso para agente penitenciario, coloque esses servidores para fazer um curso de formação de verdade. E moralize a situação da SUSIPE, que do jeito que estar vai ser mais quatro anos gastando dinheiro público, e a SUSIPE continuando a porcaria que estar.

profissionais técnicos de nível superior e nível médio também estar carente na SUSIPE.
CONCURSO JÁ E INVISTA NOS SERVIDORES. PARE DE BLÁ BLÁ BLÁ GOVERNADOR.

Anônimo disse...

Concurso já para o cargo de agente penitenciário, contratado por contratado é melhor manter quem estar no cargo. Sair só se tiver concurso.

Ou tem concurso ou fique no movimento de paralização.

Anônimo disse...

ISSO QUE O JATENE, A SEAD E A SUSIPE TEM QUE FAZER PARA OS AGENTES PENITENCIÁRIOS DO PARÁ.
A Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP - SP) informa que as inscrições do concurso público 154/2014 foram prorrogadas até às 16h do dia 23 de janeiro de 2015. Para concorrer basta atender aos requisitos do cargo e preencher formulário pelo link www.vunesp.com.br, com taxa de R$ 65,00.
Em ocasião anterior a SAP havia retificado a redação do item das inscrições, quanto ao horário de atendimento.
O certame tem por objetivo prover 1.593 vagas de Agente de Escolta e Vigilância Penitenciária, sendo 80 delas para pessoas com necessidades especiais. A organização é da Fundação Vunesp.
Todas as oportunidades são para homens com nível médio completo ou equivalente, idade de no mínimo 18 anos e, no máximo, 40 (conforme indicações no edital), altura mínima de 1,65m, bem como carteira nacional de habilitação categoria entre B e E.
As admissões serão em regime especial de trabalho policial, com jornadas de de 12hX36h ou 12hX24h e remuneração de R$ 2.248,14. Constam entre as atividades da função, escolta e custódia de presos em movimentações externas e a guarda das Unidades Prisionais.
Serão aplicadas provas objetivas na primeira fase, prevista para ocorrer em 1º de março de 2015, na parte da tarde, nas cidades de Bauru, Campinas, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São Paulo, Sorocaba e Taubaté.
Na sequência haverá aferição de altura e prova de condicionamento físico na sequência, bem como prova aptidão psicológica na terceira etapa e, por fim, comprovação de idoneidade e conduta ilibada na vida pública e privada e investigação social. Os habilitados em todas as etapas serão classificados em âmbito estadual.

CÓPIA ISSO JATENE E PARA DE FICAR ENRROLANDO OS SERVIDORES TEMPORARIOS DA SUSIPE.

CONCURSO JÁ.

Anônimo disse...

Espero que você me dê uma força para divulgar o absurdo que alunos e pais do colégio Marista estão enfrentando. Pela primeira vez o Colégio Nazaré está vendendo uniforme. Os alunos são obrigados a comprar lá , o detalhe é que apenas duas funcionárias atendem as filas que se formam. Não existe local para os alunos experimentarem as roupas. É total a falta de respeito e tem gerado discussões áspera. Quem faz os uniformes é uma empresa e o colégio revende. Por favor divulgue esse absurdo. Obrigada