quinta-feira, 20 de março de 2014

CRESS – Promiscuidade entre o público e o privado

        Mas não apenas ambições políticas moveriam Edmar Ribeiro Duarte, na sua cruzada contra a atual direção do Cress/PA e, por via de conseqüência, contra a chapa 2, da situação. Fontes da situação observam que Edmar Ribeiro Duarte, diretor do Sinaspa, e Edvane Ribeiro Duarte, candidata a tesoureira do Cress/PA pela chapa 1, de oposição, são irmãos de Edinaldo Ribeiro Duarte, que seria diretor do FIB, o Instituto de Educação Superior de Boituva, de São Paulo. O FIB, acrescenta o relato da situação, é conveniado com a Faculdade de Tecnologia AD1, de Ceilândia, cidade-satélite de Brasília, tal qual a Unisaber, com a qual é ou teria sido conveniada.

        Convém recordar que os bacharéis, cuja inscrição foi recusada pelo Cress/PA, foram diplomados pela AD1/Unisaber. Assim, é inevitável inferir que a menção ao estreito parentesco de ambos com Edinaldo Ribeiro Duarte, que seria diretor do FIB, sugere que Edmar Ribeiro Duarte, diretor do Sinaspa, e Edvane Ribeiro Duarte, candidata a tesoureira do Cress/PA pela chapa 1, sejam movidos não por princípios, mas por solidariedade ao ilustre irmão, em suas críticas à direção do Cress/PA, por recusar a inscrição de bacharéis diplomados pela AD1/Unisaber. Implicitamente, os irmãos Duarte são acusados da deletéria promiscuidade entre o público e o privado.

3 comentários :

Midia Olivia Santana disse...

Bom dia, conhecendo a seriedade do blog, sugiro que as informações acima citadas sejam melhor averiguadas antes de serem colocadas na web, uma vez que conheço a integridade do citado de diretor e de sua irmã, e com toda certeza tais denuncias são infundadas, dai a necessidade de não se colocar a primeira versão que se houve, com risco até do blog ser processado por calúnia.

Anônimo disse...

Bom dia, conhecendo a seriedade do blog, sugiro que o mesmo, antes de publicar acusações faça a devida investigação, uma vez que corre o risco da leviandade e calunia, como o caso exposto sobre o diretor do SINASPA, o qual conheço sua idoneidade e posso afirmar que as referidas acusações são infundadas. Por isso o risco de publicar a primeira historia que lhe aparece, primeiramente por risco de processos juridicos de calunia e por também, o mais sério, cair no descrédito, uma vez que, quem conhece o referido profissional saberá que o publicado é infundável.Diante disso, sugiro que retire a matéria do ar.

Edevaldo da Luz Azevedo, Assistente Social disse...

Prezado Augusto Barata, bom dia!!!

Parabenizo-lhe pela ousadia enquanto jornalista, com vasta experiência, especialmente nos principais jornais do Estado do Pará, para publicar em seu "blog" as informações que provém de fontes ora anônimas ora detentoras de credibilidade. De um modo ou de outro, a exemplo dos profissionais de Direito, especialmente os advogados, o uso da argumentação para convencer é imprescindível, ainda que não se busque a certificação da parte alvo de alguma acusação, quando o fato se reporta a um tipo de denúncia, reclamação, elogio ou opinião. No que tange ao tema CRESS/PA, e observando a veiculação polêmica da informação em pauta, observei que as partes envolvidas são facilmente localizáveis e, penso eu em minha ética ingênua, que as mesmas deveriam ser consultadas sobre a procedência das denúncias, afinal de contas jornalismo e jornalistas sérios, objetivando conquistar a credibilidade, agem deste modo. Em razão de o conteúdo exposto se apresentar dotado de pormenores que só quem está envolvido no caso pode repassar estas informações, e às vésperas de uma eleição cuja pesquisa informal apontava a vitória da Chapa 1 concorrente ao CRESS/PA - o que de fato ocorreu - a chapa de situação (Chapa 2) buscou dar uma última cartada para virar o quadro eleitoral desfavorável, pena que já era tarde... Logo, prezado Sr. Augusto Barata, pessoa abençoada pelo dom da palavra, e até da retórica, por quê não?! O bom senso jornalístico, mesmo não sendo minha especialidade, todavia me constituo leitor e telespectador, aponta para a unidade ou unicidade do conteúdo e não para a unilateralidade como, parece, tem sido a tônica de suas veiculações. Espero que minhas palavras sejam acolhidas enquanto sugestão e não como afronta, pois reconheço sua habilidade no uso das palavras (algumas rebuscadas, diga-se de passagem) e o zelo pela norma culta gramatical de nossa tão violentada Língua Portuguesa, o que é mui apreciável pela minha pessoa, um aspirante a escritor no campo do Serviço Social de documentos técnicos que sejam conclusivos sem dubiedade e que convirjam para o convencimento para os que se disponibilizam a lê-los. Meu forte abraço e deixo como dica: por gentileza, veicule o resultado das eleições do conjunto CFESS/CRESS aqui no Estado do Pará e busque informações sobre as propostas e desafios da chapa vencedora, cuja posse ocorrerá dia 15 de maio de 2014 (dia da/o Assistente Social) e gestão trienal de 2014 a 2017! Espero não ter de comentar novamente às suas veiculações...